Translate

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Poesia de minha velhice

Como será meu rosto, quando marcado ja for pela vida?
Será triste? Fosco? Será o de uma mulher sofrida?

Será um rosto brilhante, com nelas passagens a oferecer?
Um rosto de alegria ofuscante de uma mulher que soube viver?

Quero pra mim um jardim sempre belo frente a minha varanda
para que na vida seja um elo

Quero uma poesia sempre viva dentro de meu coração
para que eu possa me lembrar da vida que soou em mim
como uma canção.
Postar um comentário