Translate

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Balanços ao vento

Daqui  vejo verdes folhas.
Elas balançam ao vento
E olha! São como eu..
Balança, sacoleja e quase cai,
mas aguenta o sopro.
Como as folhas, que correm
em sus nervuras o orvalho da manhã,
também por meu rosto correm lágrimas
orvalhadas.
Grossas folhas de jacarandá.
velho jacarandá retorcido.
Que saudade que me dá.
Dos sonhos não vividos
- que sonhei-
Dos amores maltratados
- que amei-
Dos longos beijos
- que não dei-
Postar um comentário